Manaus | Encontro das águas, comunidade indígena e flutuante com botos

DSC_0194-1080x720

Esse é um passeio bem bacana e completo pra mostrar de tudo um pouco o que a nossa terrinha oferece. Ele começa saindo do Porto de Manaus, e daí a gente já começa a entender a importância da cheia e da seca do Rio Negro pra cidade. Lá estão marcadas as cheias do rio de cada ano.

De lá fomos até o Encontro das Águas, que sempre me deixa impressionada. O guia explicou que as águas do Rio Negro vêm da Colômbia, enquanto as do Rio Solimões vêm das cordilheiras do Peru e, portanto, são mais frias. Não só a temperatura, mas a densidade das águas são diferentes e assim os rios correm lado a lado por alguns quilômetros, até se misturarem por completo e formarem o Rio Amazonas. O contraste desse encontro é bem nítido. Lá termina o nosso lindo Rio Negro.

IMG_0234 - Copia

Depois disso seguimos subindo o rio, até ao Parque Ecológico de Janauary, que fica a apenas 45 minutos de barco de Manaus.

Lá paramos em um flutuante que vende artesanato local e que tem como atração a “pesca” de um Pirarucu. Não sei como não é proibido uma coisa dessas. O peixe, que é grande, fica num cercado pequeno do flutuante, provavelmente faminto, porque as pessoas jogam a isca e ele fica tentando pegar. Tudo isso por uma self? Enfim… além de tudo isso, vendiam o coco a 8 reais.

É nessa região também que tem as vitórias-régia e o passeio de canoa no igapó, mas só durante a época da cheia.

IMG_0255 - Copia

Depois disso fomos almoçar em um restaurante flutuante ali perto, com self-service à vontade. A comida estava deliciosa, e além disso tinha Baré, que eu só encontro lá pelo norte <3

De barriga cheia, voltamos ao Rio Negro e fomos à parte mais legal do passeio, o flutuante com botos *-*. A época de seca do rio é também a época de maior abundância de peixes na região, então algumas vezes os botos simplesmente já estão de barriga cheia e não aparecem pra comer :/ Pra ser bem sincera só de pular na água pra se refrescar daquele calor já estava maravilhoso, e eu estava com medo dos botos kkkk, então nem estava esperando muito. Mas por sorte um deles apareceu. Não sabia que ia gostar tanto desse bixinho! Era um jovem, porque não era tão grande, e achei a coisa MAIS FOFA desse mundo. Eu e todas as mulheres do barco suspirando *-* Agora sim entendi a lenda do boto kkkkk.

IMG_0392-683x1024

IMG_0395

IMG_0391-1024x768

Depois do encontro com o boto, continuamos a subir o rio, em direção a uma comunidade indígena. Assistimos à apresentação de alguns rituais, bem rápido e depois pudemos passear pela comunidade. É claro que é uma apresentação pra turista, e pra ser sincera, essa era a parte do passeio que eu menos estava esperando. No final das contas eu gostei, dá pra ver que eles realmente moram ali e que realmente são indígenas, ficam até conversando na língua deles. kkkk E além do mais, são super simpáticos. Eu pedia pra tirar foto e eles ficavam muito felizes, sorriam e faziam pose. Adorei!^^

 

DSC_0175-1024x683

DSC_0191-683x1024

DSC_0194-1080x720

 

Antes do pôr do sol já estávamos em Manaus <3

 

Empresa que fecheiAmazonas Day Tour

Preço: R$ 220,00 por pessoa, com traslado e almoço incluso.

Dica pra economizar: como sou de Manaus, consegui negociar para 150 reais por pessoa, mas se você for direto no porto, sem fechar antes, pode tentar negociar por esse preço ou até menos. Tanto faz a empresa, porque no final das contas o barco é o mesmo. 🙂

Observação importante: às segundas e quartas-feiras, por normas do IBAMA, não é permitido visitar os botos.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *